Diário d'Inês

quinta-feira, março 29, 2012

Às meninas!

Querido diário,

Eis uma nota que escrevi no facebook, depois de um jantar com um bom vinho:

"O calor, quase irrespirável,
é apenas contrariado pela suave brisa habitual das noites quentes de verão no Alentejo.

A lua redonda e branca, espreita por detrás da Anta que se impõe poderosa, ilumina os campos do vale cultivados com vinha ampliando e deformando silhuetas sombrias.

Barulhos sibilantes e indecifráveis, completam o cenário misterioso, quase assustador..."
 
Vinho Le Loup Noir



Um brinde às meninas ;)

Nota de 28 de Setembro de 2011.

Saudações blogueiras :)

sexta-feira, março 23, 2012

Primavera

Querido diário,

É nesta altura que os campos se enchem de flores, que ficam pintados de cores alegres. Alegres são aqueles que nesta altura do ano se apaixonam, tal como envolve todo o espírito da época. E assim se iniciou a primavera, no equinócio de Março, onde o dia e a noite gozaram da mesma duração. A partir de agora vêm dias com mais harmonia, o dia aumenta e a noite vai encurtando aos poucos. A luz do dia, irá dar a todos, mais alegria de viver. 



Há sempre alguma loucura no amor, mas há sempre alguma razão na loucura. 
                                                                                      Anouchka Grose in "Já não há canções de Amor". 

Saudações primaverescas ;)

segunda-feira, março 19, 2012

Pai

Querido diário,

Querido Pai,

Hoje é dia do Pai. Mas o dia do meu pai começou dia vinte e três de Outubro de mil novecentos e oitenta e cinco. O dia em que eu nasci. Dia do Pai são todos os dias, não se resume a um. Este é apenas um dia como outro qualquer. Não são precisos dias para saber que estás ao meu lado. E isso é que importa. É o sentimento que nos une, por mais longe ou por mais perto que a vida nos possa levar. E até para além da morte. Fale contigo todos os dias ou não, não me esqueço de ti. E hoje mais uma vez, não me esqueci. Nem te vou esquecer. É certamente um amor inacabável, porque sei que tenho mais que mil razões para o ser. O que importa é o que sou quando estou contigo e não aquilo que realmente és. Não há palavras. Todos temos defeitos, tu não és excepção. Apenas temos de saber tolerar os defeitos uns dos outros. E sobre isso tudo, vem o amor. A nossa relação não é perfeita. Nem vale a pena os outros dizerem que a deles é. Estão a mentir. Há problemas em todo o lado, não vale a pena fingir. Mas o que torna a nossa relação imperfeita é todo o amor que sentimos. É por te contar tudo o que muitos filhos não contam aos pais. É por saberes alguns podres meus, outros tantos defeitos e outras tantas qualidades. Às vezes penso que nem seria necessário saberes tanto. Mas é assim que existe o sincero apoio, o verdadeiro sentimento de amor. Não há palavras. E é nessa imperfeição que se vai buscar a verdadeira perfeição da nossa relação. 
Existem tantos momentos guardados na minha memória, que jamais poderei esquecer. Outros gestos teus, que fazem de ti o meu Pai. Não apenas biológico, mas o meu Pai de verdade. É impossível esquecer-te. É impossível esquecer tudo o que já vivemos juntos. Não há palavras. Não há palavras para todos os momentos que passamos. Não há palavras para toda a minha vida contigo. Desde o meu primeiro passo, até à minha entrada na universidade. Alegria ou felicidade, angustia ou dor. Seja quais foram os momentos, estivemos juntos. Nada mais importa. E a verdade é que nunca me falhaste sempre que precisei. E acredito que nunca me vás falhar. Isso não me parece possível. E eu estarei sempre aqui. 
A maior prenda que um filho pode dar, é o sentimento de orgulho que um pai pode sentir por um filho. E espero que isso aconteça. Essa é a minha prenda para ti. É nessa prenda que tenho trabalhado. Nem que seja o orgulho pelo que realmente sou e não pelo que me vou tornar. Eu orgulho-me de ti a vários níveis, nem que seja apenas pelo simples facto de cuidares de mim. Nem que seja pelo simples facto de existires. És especial. Não de ontem nem de hoje. Mas de sempre e para sempre. És especial. És o meu Pai. Sejas ou não o melhor Pai do mundo, como dizem muitas coisas que se oferecem hoje, és o meu Pai. E é isso que faz de ti o melhor. E isso basta.

Feliz dia do Pai.

 Saudações blogueiras.

sábado, março 17, 2012

Oh!

Querido diário,

Tendo em conta que hoje tive uma breve conversa sobre sanitas, até porque o tema não sugeriu interesse em ser alongado, surgiu-me publicar esta imagem...

Coitadinhos estão a sofrer!!

Saudações blogueiras ;)

sexta-feira, março 16, 2012

Um amor e uma cabana

Querido diário,

O tempo passa, sem que pare para pensar em amar. Na verdade, acho que não quero pensar muito nisso. Tenho tantas coisas boas na vida que não tenho tempo para poder amar alguém. A verdade é que o amor não se resume a ter tempo. Ama-se apenas porque sim. Pelo menos no meu tempo era assim. Não interessava nada destas coisas de agora. Ainda me lembro de namorar por carta. Da maneira como os miúdos trocavam olhares. Tive paixões indeterminadas, nos momentos certos da minha vida. Vivi tudo o que podia viver e mais até, sempre nas quantidades certas. Apaixonei-me. Apaixonei-me ao ponto de sentir borboletas no estômago. Amei ao ponto de sentir o peito apertado. Sentia mesmo. No entanto, existem desilusões. Tive o "prazer" de ter grandes desilusões. Hoje é um prazer. A vida é toda um prazer. Tem de ser! Sofri por paixões e amores mas aprendi com eles, tal e qual como deveria ser e ainda mais que isso. O que não nos mata torna-nos mais fortes. Mas fui realmente feliz. Sensação única. Hoje sou feliz, de outra maneira. À minha maneira.

Às vezes hoje nada disto acontece. Muitas vezes ninguém quer ficar sozinho. Tempos diferentes. Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades. O amor não se mede aos palmos. Hoje, as pessoas juntam-se só porque sim, porque dá jeito ter alguém. Porque é sempre melhor do que estar sozinho. É tudo porque é mais fácil. Ama-se porque convém, mesmo sem pensar nisso. Eu ainda sonho com um amor saudável. Um amor que aparece sem explicação. Amar apesar de tudo. Sofrer por amor. Apenas um amor e uma cabana, como se costuma dizer. Sem interessar se somos ricos ou pobres, se temos saúde ou não. Não são precisas muitas palavras. Nem tudo o que se sente, se descreve. Mas tudo o que se escreve sente-se. Um amor que me levará a amar cada dia mais. Um amor por quem me vou apaixonar até ao fim dos meus dias. Todos os dias. Um amor que até o mais ínfimo gesto da pessoa, me dê mais mil razões para viver. Quero um amor que nunca desiste. Um amor pelo qual se faz tudo. Quero dizer que és perfeito. Mesmo não sendo, porque ninguém o é, para mim serás. Que existes apenas tu e nada mais importa. Que és o homem da minha vida. Quero que o tempo pare quando estiver contigo. Quero acordar todos os dias com a certeza que és tu. Para sempre.

Mas, não me sinto capaz disso. Cada vez acredito menos que isso irá acontecer. E então, não quero ficar com alguém só porque sim. Jamais o farei. Quero mais. Quero ser Feliz. É uma obrigação ser feliz. Quero a minha vida, a minha liberdade e mesmo que seja, até o meu sofrimento. Um dia irei encontrar-te. Nem que seja numa outra vida. Se for isso possível, se existirem almas gémeas. Até lá, tenho outras coisas. Pequenas grandes coisas que me fazem querer viver cada dia como se fosse o último. 


 Enquanto não atravessarmos
a dor de nossa própria solidão,
continuaremos
a nos buscar em outras metades.
Para viver a dois, antes, é
necessário ser um.
Fernando Pessoa

Saudações amorosas ;)

quinta-feira, março 15, 2012

4Patas


Quem não sente, não é filho de boa gente. Sinto a pessoa mais sortuda por te ter, hoje e sempre. Não há palavras, para o sentimento pelos animais. Não há palavras, como és sem dúvida o melhor amigo do homem. Não há palavras para o que se vive contigo. Apenas conseguem haver algumas palavras, para quem vive e partilha o mesmo que eu. Em tudo e a todos os níveis, hoje e sempre, pelos animais.

Saudações solidárias ;)

How to save a life

Querido diário,

Mais uma música para registar ;)


Saudações musicais ;)

Não digas nada!

Querido diário,

Este poema é sem dúvida a explicação "um gesto vale mais que mil palavras". Mas as palavras escritas, são apenas meras palavras, mas são meras palavras que muitas vezes ficam registadas para sempre.

Não digas nada!
Nem mesmo a verdade
Há tanta suavidade em nada se dizer
E tudo se entender —
Tudo metade
De sentir e de ver...
Não digas nada
Deixa esquecer

Talvez que amanhã

Em outra paisagem
Digas que foi vão
Toda essa viagem
Até onde quis
Ser quem me agrada...
Mas ali fui feliz
Não digas nada.


Fernando Pessoa, in "Cancioneiro"


Saudações em silêncio.

quarta-feira, março 14, 2012

Enjoy!

Querido diário,

Não apenas porque adoro cupcakes, mas porque é de sempre e para sempre:


Life is just a cup of cake ;)

domingo, março 11, 2012

Sem sentido

Querido diário,

Um dia decidi que ia começar um texto assim. Dizer coisas sem sentido ou sentido de coisas dizer. Não tem lógica nenhuma. Tudo é uma questão de lógica quando de lógica queremos tratar. Hoje não se tratar de nada disso. Escrevo o que me apetecer. Escrever sem sentido algum. Nem os meus pensamentos hoje têm sentido. Nem ontem tinham. Quero estar bem longe daqui ou aqui estar longe de mim. Num lugar qualquer. Sozinha ou com alguém. Sozinha sem sentido nenhum ou algum sentido com alguém. Cenas maradas. Sonhos que mais vale nem saber, porque a saber sonhei que era isso. Isso ou aquilo, uma porcaria qualquer. E que por momentos, tivesse eu hoje certos pensamentos, de olhar para alguém e sem conseguir sentir, coisas até senti. Sensações estranhas. E por vezes as pessoas distraem-se. É assim. Que porcaria de dia aborrecido me levou a fazer porcaria quase nenhuma. Domingos. Só de pensar que amanhã é segunda feira, antes fosse a feira na segunda semana de férias. Férias é que a malta precisa. Mesmo que não precise a malta não quer é fazer nenhum e nenhum continua sem fazer. Isso é uma verdade que nunca vai ter sentido. Sentido era fazer sempre qualquer coisa. Sentido era nunca poder sentir. Sentido de sentir e sentido sem nexo. Mas qual nexo? Que porcaria de texto. Porcaria de pensamento, pensamentos de porcarias que às vezes nos levam a pensar.

Saudações sem sentido ;)

sexta-feira, março 09, 2012

Quando nos apaixonamos


Quando nos apaixonamos, ou estamos prestes a apaixonar-nos, qualquer coisinha que essa pessoa faz – se nos toca na mão ou diz que foi bom ver-nos, sem nós sabermos sequer se é verdade ou se quer dizer alguma coisa — ela levanta-nos pela alma e põe-nos a cabeça a voar, tonta de tão feliz e feliz de tão tonta. E, logo no momento seguinte, larga-nos a mão, vira a cara e espezinha-nos o coração, matando a vida e o mundo e o mundo e a vida que tínhamos imaginado para os dois. Lembro-me, quando comecei a apaixonar-me pela Maria João, da exaltação e do desespero que traziam essas importantíssimas banalidades. Lembro-me porque ainda agora as senti. Não faz sentido dizer que estou apaixonado por ela há quinze anos. Ou ontem. Ainda estou a apaixonar-me.

Gosto mais de estar com ela a fazer as coisas mais chatas do mundo do que estar sozinho ou com qualquer outra pessoa a fazer as coisas mais divertidas. As coisas continuam a ser chatas mas é estar com ela que é divertido. Não importa onde se está ou o que se está a fazer. O que importa é estar com ela. O amor nunca fica resolvido nem se alcança. Cada pormenor é dramático. De cada um tudo depende. Não é qualquer gesto que pode ser romântico ou trágico. Todos os gestos são. Sempre. É esse o medo. É essa a novidade. É assim o amor. Nunca podemos contar com ele. É por isso que nos apaixonamos por quem nos apaixonamos. Porque é uma grande, bendita distracção vivermos assim. Com tanta sorte.

Miguel Esteves Cardoso, in Jornal Público (14 Fev 2012)

quinta-feira, março 08, 2012

Dia da Mulher

"Os homens distinguem-se pelo que fazem, as mulheres pelo que levam os homens a fazer"-  Carlos Drummond de Andrade 

Querido diário, 
 
Feliz dia a todas as mulheres. Ás que merecem. Às que não merecem. A todas as que lutam pelos nossos direitos. A todas as que lutaram para sermos o que somos hoje. Ás mais atrevidas e às mais tímidas. Ás meninas que um dia nos substituirão. Às casadas e às solteiras. Às mal casadas e às mal amadas. Às mais felizes e às menos felizes. Ás que um dia serão alguém e às que nunca forem nada. Honrem o nosso sexo. A nossa glória é um bem precioso. Nunca se esqueçam do que somos. Em especial a todas as minhas amigas, tias, mãe e avó. Em especial às Sebastians. Um brinde a todas as mulheres.

Saudações mulherengas ;)

domingo, março 04, 2012

Primavera

Querido diário,
Uma musica para reflectir ;)
 



Sábado à noite não sou tão só
Somente só
A sós contigo assim
E sei dos teus erros
Os meus e os teus
Os teus e os meus amores que não conheci

Parasse a vida
Um passo atrás
Quis-me capaz
Dos erros renascer em ti

E se inventado, o teu sorriso for
Fui inventor
Criei o paraíso assim

Algo me diz que há mais amor aqui
Lá fora só menti
Eu já fui de cool por aí
Somente só, só minto só
Hei-de te amar, ou então hei-de chorar por ti
Mesmo assim, quero ver te sorrir...
E se perder vou tentar esquecer-me de vez, conto até três
Se quiser ser feliz...

Se há tulipas
No teu jardim
Serei o chão e a água que da chuva cai
Para te fazer crescer em flor, tão viva a cor
Meu amor eu sou tudo aqui...

Sábado à noite não sou tão só
Somente só
A sós contigo assim
Não sou tão só, somente só...

Saudações musicais ;)

Felicidade

Querido diário, 

Um dia, perdida nos meus pensamentos, reflecti sobre o que é estar com alguém. Aquela pessoa que queremos do nosso lado até a vida nos levar. Quero acreditar em alma gémea. Até pode não existir ou se existir podemos não a encontrar.
Existe uma altura da nossa vida que devemos pensar, se realmente vale a pena compartilhar toda a nossa vida com alguém, sem ter a certeza que será aquela pessoa. Sem saber se somos realmente felizes. Nunca se tem certeza, mas há algo cá dentro que nos transmite. A nossa entrega a alguém deverá ser tal que irá superar a solidão que iríamos sentir de estarmos sozinhos? Valerá a pena partilhar a nossa vida, os nossos pequenos prazeres com alguém por quem temos dúvidas de ser a pessoa certa? Há que ter realmente certezas. Seja lá elas quais forem. Cada um faz as suas escolhas. São essas que nos levam por caminhos diferentes.
Mais uma vez, não vou falar em amor. O amor está para além das palavras que aqui poderia escrever. O amor é uma coisa, a nossa felicidade é outra. Não há preço nem medida certa para ser feliz. O amor não nos deve deixar infelizes.
Quero falar apenas de partilhar a nossa vida com alguém. Falar de ser feliz. A vida pode passar por nós. Não vale a pena ser infeliz. Não temos de obrigatoriamente de ter alguém. Apesar de todos precisarmos de alguém. Às vezes não é isso que nos faz feliz e poderá fazer exactamente o contrário. Há que aprender a ser feliz sozinho. Apenas assim conseguimos a felicidade com o próximo. Amar a nossa vida é o caminho certo para a felicidade.
Tudo vale a pena, quando a alma não é pequena, mas apesar de ter a alma grande, não são todas as pessoas que tocaram nela. Não devemos ficar com alguém que apenas toque no nosso corpo e não alcance a nossa alma. Não devemos ficar com alguém que nos faz triste a maioria do tempo. Tenha a pessoa culpa disso ou não. Não podemos culpar ninguém pelo que sentimos. O sentimento é apenas e unicamente nosso. Devemos procurar a felicidade dentro de nós. Ninguém o fará se não nós próprios.
Às vezes há que parar para pensar. Não deixar a vida andar por comodismo. A vida não pode passar por nós. Nós é que temos de passar pela vida. Usufruir de tudo o que nos dá, nas quantidades certas. Quantidades difíceis de encontrar por vezes. É tudo uma questão de equilíbrio do ser humano. Devemos equilibrar-nos a nós próprios. E no meio disto tudo, devemos ser livres. Devemos ser livres para saber o que realmente sentimos e procuramos. Devemos ser livres para afluir o nosso verdadeiro querer, o nosso verdadeiro desejo. E é essa vontade que nos fará feliz.

Saudações felizes ;)


Cute #1