Diário d'Inês

quinta-feira, outubro 30, 2014

Novembro, 1






Querido diário,

Era impossível ser dia 1 de Novembro sem ti. Sem a minha capa, a minha companheira e o cofre dos meus segredos. Os emblemas, as histórias partilhadas e os momentos vividos, contigo.
Emblemas que nunca saíram, lagrimas que nunca foram limpas para além da chuva, confissões que apenas o negro conseguiu absorver. Emblemas esses, oferecidos por cada amigo. Amigos que em tempos foram - e são – família, todos os dias. Uma família que contruímos. Amigos que fiz e me orgulho de cada emblema que tenho. Amigos que posso falar diariamente ou daqui a um ano, como se fosse ontem. Amigos com que posso contar, sempre.
Histórias que tenho para contar, como apenas quem viveu “Évora” pode ter. Tenho histórias de alegria, tristeza, amor, paixão, raiva… Como se costuma dizer, histórias para todos os gostos. Hoje não seria igual sem elas e nem poderia ser. Tristes são aqueles, que não as viveram. Ainda eu acho, que não vivi tudo. Bom, mas vivi quase tudo. A essência de uma vida, passou por mim, por todos nós e isso chega para estarmos juntos.
Momentos… “Momentos que passam, saudades que ficam”. Foram de longe, os melhores tempos da minha vida. Momentos intensos de quem bate os seus sapatos na calçada, de quem aperta o botão da camisa, de quem fala ao “bicho”, de quem grita F R A e sobretudo, de quem traça a capa ao anoitecer. Tão especiais, são os nossos estudantes de Évora. 

É isto que me move, é isto que me faz largar a minha cidade, a minha capital para ir passar o dia à cidade que um dia foi minha, que um dia foi de todos nós. É por este “nós” que faço questão, de fazer estes tão desejados 130 quilómetros.

 Até já, Évora. Urra!!!