Diário d'Inês

quarta-feira, dezembro 16, 2015

Ainda sou aquela miúda

Ainda sou aquela miúda que acorda de manhã rabujenta mas que termina sempre o dia a sorrir. 
Mas aquela miúda que reclama quando sabe que tem razão e que protesta quando vê injustiças.
Ainda sou aquela miúda que quer fazer todos os dias serem as melhores memórias futuras. Mas sou a mulher que sabe que tristezas fazem parte.
Ainda sou a miúda que se comporta como uma criança quando está na companhia dos que mais gosta. Mas sou a mulher que oferece o colo quando eles precisam de chorar.
Ainda sou aquela miúda que para fazer acontecer é preciso sonhar. Mas sou aquela miúda que sonha - às vezes - com os pés assentes na terra.
Ainda sou aquela miúda que nunca perde a esperança, porque milagres acontecem a toda a hora. 
Mas sou aquela miúda que sabe que desistir é diferente de deixar ir.
Ainda sou aquela miúda que chora como uma criança, mas que tem a força de uma mulher.
E ainda sou aquela miúda que acredita que, no final, o amor vence sempre. E o amor, está nas mais pequenas coisas da vida.


terça-feira, dezembro 15, 2015

Intensamente

Querido diário,

"Penso demasiado em tudo. Se fiz bem, se fiz mal, se devia ou não, se podia ou não. Penso em tudo, até no mais insignificante pormenor no qual ninguém quer saber. Mas eu penso nele, e eu sofro por causa dele. O problema ainda não chegou mas eu já sofro com ele. Talvez seja porque vivo tudo intensamente, o mau, mas também o bom. Não conheço meios-termos ou formas leves e superficiais de sentir e viver. O meu coração pode estar sempre em sobressalto, mas pelo menos está sempre vivo.

Raul Minh'alma.

                                  

quarta-feira, outubro 07, 2015

A tua história

Na história da tua vida tu és a personagem que quiseres ser.
Cais as vezes que precisas cair, levantas com a coragem que tens de querer levantar.
A coragem de viver e escrever ser feliz.
Na minha história risco as poucas amizades, pouco amor, poucos abraços, poucos passos, poucos lado-a-lado.
Escreve a história que queres deixar acontecer. Apaga aquilo que te destrói e sublinha o que te constrói.
Na história da vida quando acreditas e sabes o teu caminho, não existe nenhum escritor que te mude a direcção.
Não existe quem te faça de incertezas. Quem venha com friezas. Escreve ficar com a única certeza de ser - sempre - feliz.
Com a certeza de que no teu mundo estão - apenas - aqueles que te querem bem. Em todas as tuas páginas. Estão os que te cuidam. Os que fazem parte. Os que surpreendem. Os que te fazem bem sentir. E que te fazem sorrir.
Na simplicidade de escrever ser feliz, viver é o mais complicado.
Apaga do livro quem não quer ficar. Deixa ir quem não te acrescenta. Quem não te faz sonhar. Quem não faz acreditar.
No meu mundo estou eu, estás tu e estamos nós. Os que querem - sempre - estar.
Quando estás a escrever a história da tua vida, não deixes que ninguém segure a caneta.
Porque no final, eu sorrio - sempre - não pelo meu final feliz, mas pela minha história. O final logo se vê se é feliz ou não.

quarta-feira, agosto 19, 2015

No meu mundo

Querido diário,

Em que mundo ando eu que não sei os passos que dou.
A terra que piso, o vento que me toca.
Em que mundo ando eu quando sinto sem nada sentir.
Sem sentir o toque, a alma que me pertence.
Em que mundo ando eu...
Quando quero correr sem ter destino, quando quero gritar até que a voz me doa.
Quando o mundo dá a volta e cada volta um recomeço.
Em que mundo ando eu, quando não ouço a minha voz.
Quando quero gritar e nem falar consigo.
Quando consigo fingir a dor de que nada sinto.
Quando preciso de um copo de vinho tinto.
Em que mundo ando eu, quando dou aquele passo em frente.
E quando sinto tudo aquilo que não quero sentir.
Em que mundo estou eu...

sábado, agosto 15, 2015

Ontem, ao final da tarde..

Querido diário,

Ontem ao final da tarde na praia, dei uns passos em direção ao mar. Sentir a vida e o passar de mais um dia. Um dia onde tens certezas. Certezas de que estar solteira não é estar só. De que não é estar triste. De que não é a opinião de quem não te quer bem. E que o importante na tua vida são as tuas certezas. De que todas as tuas escolhas te levaram ao lugar certo, à terra que pisas. De que nada acontece por acaso. De que tudo tem um certo sentido. De que tudo - as lágrimas e os sorrisos – fazem parte do que és e do que ainda vais ser. De que o que te faz sorrir não é ter alguém na tua vida mas ser alguém na vida. E do que ainda queres ser. E mesmo que faça vento ou semeies uma tempestade, quando apontas a seta da vida no sentido dos teus sonhos, nada a faz mudar de direção.

E assim senti, a forte brisa do mar na minha face, a água fria nos meus pés e a vontade louca de mergulhar. O melhor que a praia tem, o frio que me faz tremer mas que tanto gosto de sentir. Sentir que todos os dias são dias para viver. Olhar o horizonte, ali onde o sol se põe. E onde há todos os dias um novo recomeço. Uma nova vontade de viver. Pensar que não me falta nada, ou quase nada. Porque todos os dias me apaixono, pelas coisas mais pequenas da vida.


sábado, agosto 08, 2015

Corpo e Alma

Querido diário,

O despertar de ti pode ser tão fácil. E pode ser tão difícil. Depende do estado da tua mente. As emoções que sentes, os passos que dás na tua vida, o vento que te sopra na face. Os segredos que guardas, os segredos que partilhas. A tua alma escondida quando não queres gritar o que desejas para mais ninguém. O que viveste e o que ainda queres viver. E queres viver contigo. Saber os teus medos, desejos. Encontrar-te. Mais que encontrar alguém. Por vezes ou até de repente, a vida pode mudar o sentido. Quando sentes o bater do coração quando te tocam, quando pode ser o despertar da tua alma. Não queres dar de ti. Nem todas as pessoas que tocaram no teu corpo, conseguiram tocar na tua alma. Tocar no teu corpo é algo fácil, sem perigo. Com algumas emoções redundantes de um desejo que ele te pede. Algo que vives o momento e viras a página para te encontrares numa próxima. E é tudo tão simples. Que simplicidade seria se tudo de resumisse ao teu corpo. Mas existe quem pode conseguir tocar na tua alma. De quem pode ter a capacidade de desorganizar o teu mundo. O mundo que tu não queres abrir. O mundo que hoje queres deixar fechado para ti. A verdade, é que nem todas as pessoas precisam conhecer a tua alma. Mas... mas quando o teu corpo e alma se unem, apenas precisas respirar fundo. Respira fundo e sente. Quando fizer sentir, lembra-te, vai fazer sentido.


quarta-feira, julho 29, 2015

Paz de espírito

Querido diário,
Quando não percebes tudo agora, mas tudo faz sentido quando:
«quando te amas de verdade, paras de desejar que a tua vida seja diferente e começas a aceitar que tudo o que te acontece (de bom e de mau) contribui para a pessoa que és. 
Aprendes que isso tem um nome: maturidade.
Quando te amas de verdade, desistes de querer ter sempre razão. Preferes sempre, sempre ter paz.
Aprendes que isso tem um nome: humildade.
Quando te amas de verdade, começas a dizer 'não' a tudo que te faz mal. No início achas que isso é egoísmo. Depois, aprendes o verdadeiro nome: amor-próprio.»
Quando és feliz, do jeito que és.
| adaptado de Charlie Chaplin em "Às nove no meu blog"

quinta-feira, julho 23, 2015

Às vezes...Apaixonas-te.

Às vezes tenho noção que magoa, que o tempo custa e que na realidade não quero ninguém. Tenho noção que estar com alguém pode ser estar sozinha. E tenho tanta noção do quanto eu quero estar sozinha. Sozinha mas não só. E o quão bem e feliz estou. Às vezes o coração bate mais forte pelas razões incorretas. Às vezes tenho noção que não estou sozinha. Às vezes não me ouço, não sinto e não quebro o meu silêncio. Tenho noção daqueles abraços vazios e beijos que não sabem a nada. Daqueles dias fúteis que despes preconceitos. Tenho noção de ser sempre mais eu. Noção de querer ser apenas eu. De ser egoísta. Oh se tenho! Mas às vezes, então, que não consigo. Tenho de abrir aquele silêncio que me faz gritar. Às vezes, sem querer, sentes aquele abraço. Sem querer, sem pensar e sem procurar. Sentes aquele abraço. E tens noção que queres que o tempo pare por ali. Noção que não faz sentido mas faz sentir. E então às vezes sinto e faz tremer, enlouquecer. Mas faz sorrir. E às vezes… às vezes apaixonas-te. Nem que seja apenas por aquele momento.



terça-feira, junho 23, 2015

Maneiras de ser

"Não sou um doce de pessoa. Não sou fácil de aturar. Tenho uma cabeça complicada. Digo metade do que quero, mas espero que percebam tudo aquilo que pretendo. Faço uma revolução quando quero algo. Determinada e teimosa. Mas confiável e leal.
Não deixo muita gente aproximar-se mas, quando o permito, dou tudo de mim. E vou ao fim do mundo por quem amo.

- Rita Leston -


quinta-feira, junho 18, 2015

Road Trip

Querido diário,

Gostava de te escrever todos os dias e dizer-te como estou feliz nesta terra. Uma terra onde não nasci, onde nunca estive mas com que sempre me identifiquei. Uma terra onde tenho família e amigos, uma terra que adora animais, uma terra onde existe vegetarianos em cada esquina. Escrevo para te falar da minha primeira road trip. Passei pelas estradas da Califórnia, Arizona e Nevada. Fiz a route 66, admirei o magnífico Grand Canyon e bebi um cocktail em Las Vegas. Não poderia pedir mais. Até hoje nunca experimentei esta sensação de liberdade, de felicidade. Os meus olhos ficaram em lágrimas e experimentei um misto de emoções fortes. Não me desiludiu em nada, tudo simplesmente perfeito. Desejava que o tempo parasse e eu ficasse a admirar a sua beleza. O exlíbris da minha viajem! O mundo é pequeno demais para conhecer apenas um lugar, para perceber o seu significado e conhecer apenas certas pessoas. Posso dizer que a minha vida é perfeita do jeito que é, do jeito que foi e do que ainda vai ser. Os sonhos comandam a tua vida, traçam os teus objectivos e levam-te aos locais certos, a estar com as pessoas certas e nunca esquecer os que fazem parte. Os que sempre fizeram parte de ti, os que querem fazer parte de ti, para sempre. Há lugares que ficam no coração. Eu tenho de voltar. Tenho de fazer mais da Route 66. Tenho de pisar novamente o Canyon e beber um cocktail em Vegas. Oh, Vegas! Ainda fico pelas Américas e assim digo: Muitas vezes o que nos faz mais pobres é o que mais nos enriquece!
 ‪#‎roadtrip‬ ‪#‎GrandCanyon‬‪#‎LasVegas‬ ‪#‎travelofmylife‬



domingo, junho 07, 2015

American dream

Querido diário,

Sabes, atravessei o atlântico há cerca de 4 dias atrás. Ao atravessar o atlântico conquistei um dos meus sonhos de sempre. Sabes, não existe melhor sensação na vida que chegarmos onde queremos, onde sempre sonhamos. Há coisas que nos fazem felizes por um acaso, outras por instantes, outras por um tempo e outras, aquelas que ficam por toda a vida, as que sempre sonhamos. Diferentes tipos de sensações. Sabes, sou tão apaixonada pela vida que ver o mundo é a melhor maneira de viver, de ver a vida. Pessoas, culturas, tradições. Sabes, aquela coisa do wanderlust.
Sabes, aterrei em São Francisco, Califórnia. Não poderia estar mais feliz. Penso que nunca me senti assim. God bless America!



terça-feira, maio 19, 2015

Journey


Querido diário,

Ainda não tive oportunidade de te dizer:

Finalizada a minha jornada. O meu percurso académico. A entrega da final finalíssima. Deixar para trás sem obrigação de voltar o Alentejo que tão bem me acolheu. Posso dizer que não me falta nada, ou quase nada. Tenho aqueles que fazem a minha vida cheia de tudo. Fazem o meu coração cheio.
Deixo para trás mas volto, passo e não fico. Volto apenas para abraçar os que me são queridos e que sempre me esperam. Para recordar as boas histórias que ali vivemos e aquelas que fazemos agora. Tenho um mundo à minha espera. Tenho os meus sonhos e objetivos a seguir. São eles que sempre fizeram a minha vida. A minha jornada. Não sonhamos alto demais, há apenas quem pense baixinho. E hoje posso dizer, nunca me senti tão feliz.
Mesmo aqueles que fazem as nossas vidas cheias de nadas, bom, sabemos rir tão bem! Nunca se perde razões para sorrir. Porque tudo na vida tem a importância que lhe damos. Porque importante é viver, a nossa vida. Tudo na vida tem importância quando faz o nosso coração bater. E o meu bate pelas razões tão certas.
A minha jornada é maior que o poder da imaginação dos outros. A minha vida tem vários capítulos. Todos eles importam à sua maneira. Nenhum volta a acontecer, por nenhum darei um passo atrás e todos têm a sua razão temporal. Eliminava algum? Não. Eles fazem aquilo que sou hoje. Da pessoa que me tornei. Qual foi o melhor? O próximo.

quarta-feira, maio 06, 2015

domingo, maio 03, 2015

Mom

Querido diário,

Há filhos sem mães e mães sem filhos. Ama a tua mãe, não importa o que estejas a passar, o teu caminho, as discussões. Ela vai estar sempre aqui, sempre, para ti.


♥ minha mãe.

sábado, abril 18, 2015

Sensivelmente

Querido diário,

As noites que inspiram:

"Gosta de mim, assim
Sensivelmente
Uns dias não, outros sim
Para lá da nossa mente

E deixa falar essa gente
Que de certo nada sabe
O coração não mente
O que só a nós cabe.

                                                                           d'I.

segunda-feira, abril 13, 2015

Não desistas

Querido diário,

Não desistas de quem nunca desistiu de ti.
Não queiras a sua melhor versão.
Quer por inteiro.
Quer o amor e a dor.
Dar, sem esperar.
E quando a tempestade vier, espera passar.
Horas, dias, semanas ou meses.
Ela passa. Oh, se passa!
Se desistir, deixa ir.
Não convenças, sem sentenças.
O amor é livre.
Liberdade,
Segredo da felicidade.
Não desistas de alguém,
Não desistas de ti.
                                                                        d'I.

quarta-feira, fevereiro 18, 2015

Pessoas

Querido diário,

Hoje venho falar de pessoas. Sim, de pessoas e não de animais. Não apenas porque dizem que quem gosta muito de animais é porque não gosta de pessoas. Realmente, gosto muito de animais e, gosto muito de pessoas. Gosto de animais porque são sinceros e puros, às vezes difíceis de perceber. As pessoas gosto por cada uma ter uma peculiaridade, pelo desconhecido que possa ser e por tentar compreender, diria aceitar, cada um com as suas diferenças. Digamos que, podem despertar um interesse e curiosidade de tão estranhas que nos possam parecer. Digamos que, há seres humanos que fazem coisas que metade do mundo compreende e a outra metade não. 

Mas, gosto e não gosto de pessoas. Não gosto de pessoas mais precisamente porque sabem o que fazem e quando não sabem é porque não querem saber. Não gosto de animais porque... Apenas gosto de animais. Apenas gosto porque não sabem o que fazem, irracionais. Inconscientes ou inocentes a lutar pela sobrevivência. E a nossa racionalidade, por vezes, não chega a lado nenhum. A nossa racionalidade, às vezes, não vale nada, comparado ao que um ser humano é capaz.

Como disse, gosto de pessoas, umas mais que outras. Hoje vim falar de uma mulher que admiro. Angelina Jolie, é, considerada por mim, uma grande mulher. Se tem defeitos, se há coisas que ´não gosto. Claro. Até há coisas em mim mesma que não gosto. Mas o seu grande coração faz tudo e faz o que és. E, não, não é dinheiro. O dinheiro ajuda, mas não faz o teu coração. A humanidade não toca a todos. Há sempre algo que nos inspira. E, porque pensam que apenas me importo com animais. Não. Mas gosto de estar do lado dos mais fracos, porque são eles que me fazem o coração forte. 

“O meu tempo na terra é curto e tenho muito dinheiro. Vou ajudar o máximo de pessoas possível sem condições de ter uma vida de qualidade. Eu gostaria de ter todo o dinheiro do mundo. Não tenho. Mas vou usar o que tenho para isso.” Angelina Jolie.


Se eu tenho o sonho de ser alguém? Tenho, ser mãe de uma criança adoptiva. 







sexta-feira, fevereiro 13, 2015

Cativar

Querido diário,

"Sinto tanta mágoa ao contar estas recordações! Há já seis anos que o meu amigo se foi embora com a sua ovelha. Se tento agora descrevê-lo, é para não o esquecer. É triste esquecer um amigo.
Mas se tu me cativas nós teremos necessidade um do outro.

Só conhecemos o que cativamos.
Tu és eternamente responsável por aquilo que cativas.



Em "O Principezinho", de Saint-Exupéry

segunda-feira, fevereiro 09, 2015

Canja vegetariana

Querido diário,
Parece que hoje continua o meu terceiro dia "cheia de mal", leia-se doente.

A canja vegan, para além de apenas gordura vegetal, tem muito mais nutrientes que ajudam a curar uma constipação e como estou pior que constipada, quanto mais vitaminas melhor. Os pimentos, de várias cores, a cenoura, beterraba, couve, salsa.. são alimentos ricos em betacarotenos que vão ajudar o sistema imunitário e o sistema respiratório. Alimentos como o gengibre e a cebola também potenciam o sistema imunitário. E ainda, se gosta de picante, utilize a pimenta de cayenne.

Não como carne há um aninho sensivelmente, a canja de frango para hidratar, em tempos era uma opção. Agora, fiz "a" opção, canja vegan inventada por mim. Aqui fica a minha receita.

Canja Vegan/vegetariana(serve 4)

Ingredientes:
- 1 chávena de arroz de jasmin (pode substituir por normal);
- 1/2 chávena de cenoura ralada;
- 3 pimentos pequenos: amarelo, laranja e vermelho (pode substituir por outros como quiser);
- Alho francês - o topo verde;
- 1 tomate;
- 1 cebola média;
- 3 dentes de alho;
- Colher de café de pimenta cayenne (pode substituir por mistura de pimentas e chilli);
- Colher de chá de gengibre ralado (eu utilizei em pó);
- Colher de café de cominhos;
- 2L de caldo de legumes;
- Salsa q.b.;
- Sal q.b.
- Azeite q.b.;
Opcional:
- Tofu fumado aos cubinhos (não utilizei);
Preparação:

Prepare o caldo de legumes e reserve. Refogue a cebola picada junto com o azeite, junte o alho picado e envolva. Junto os pimentos partidos aos cubinhos e a cenoura ralada. Parta o tomate em pedaços pequenos e acrescente. Envolva bem até desfazer o tomate. 
Coloque o arroz, envolva bem e frite um bocadinho. Coloque os temperos: sal, gengibre e pimenta. 
Comece a colocar o caldo de legumes quente e envolvendo. Deixe cozer o arroz, mas não demasiado.
Retifique os temperos, sirva quente com salsa picada por cima.

Voilá!

domingo, fevereiro 08, 2015

quarta-feira, fevereiro 04, 2015

Penélope

Querido diário,

Hoje, a caminho do trabalho, encontrei uma cadela do meio da estrada, desorientada, perdida. Não sabia ir pelo passeio, alguns carros desviavam-se dela, outros desviava-se ela. Não consegui seguir, voltei e parei o carro perto. Penélope, dizia a sua chapinha com o nome e com o número atrás, cheia de medo. Uma pequena cadela gordinha, castanha clara. Fiquei quase no meio da estrada, numa rotunda, onde a consegui apanhar, agarrada a ela. Liguei para o número, que não atendeu. Continuava amedrontada, mas meiga. Estava molhada por baixo, consegui pegar ao colo sem querer sequer saber se me sujava para o trabalho. Felizmente é das minhas primeiras histórias felizes. Desta vez a senhora apareceu no carro já de lágrimas nos olhos, andava às voltas porque a Penélope tinha fugido pelo portão quando a senhora saiu de casa. Um final feliz de quem faz acontecer. Em tantos carros que passaram por ali, ninguém parou, ninguém quis ou quer ajudar. Isso deixa-me triste, ainda não demos o "grande passo". Mas vamos dar um dia! Porque acreditar é uma palavra que me assiste. Esta história, aqueceu-me o coração para o resto do dia e trabalhei, sem dúvida, bem melhor. O amor pelos animais é inexplicável. Nunca deixem passar um animal em branco, todos precisam de nós, porque salvar uma vida, é salvarmos a nossa humanidade.


Champagne #1


segunda-feira, fevereiro 02, 2015

Vivo para sentir

Querido diário,

"Eu sou assim. Tenho um milhão de defeitos. Sou volúvel. Sou viciada em gente. Adoro ficar sozinha. Mas eu vivo para sentir. Por isso, eu te peço. Me provoque. Me beije a boca. Me desafie. Me tire do sério. Me tire do tédio. Vire meu mundo de avesso! Mas, pelo amor de Deus, me faça sentir! Um beliscãozinho que for, me dê. Eu quero rir até a barriga doer. (...) Desculpa, nada é pouco quando o mundo é meu." - Clarice Lispector.

Sim, eu vivo para sentir. "Um mundo ao contrário". E quero mais, às vezes demais. Sempre!

quinta-feira, janeiro 29, 2015

terça-feira, janeiro 27, 2015

Bonnie

Querido diário,

Como o tempo passou, como se passou um ano. Faz hoje um ano que a doce e bebé Bonnie veio até mim. A minha coelha, minha princesa. Lembro-me como se fosse ontem. O meu amigo Mauro veio com ela de Faro, ainda com um mesinho. Nenhum bebé deve sair tão novo de perto da mãe. Mas, assim o foi, por diversos motivos. 

A Bonnie chegou a Évora ainda pela manhã, perto da hora de almoço, numa caixinha de cartão com uma toalhinha. Era tão tão pequenina. Cabia na minha mão. Tirei o seu pequeno corpinho da caixa e coloquei em cima da mantinha das borboletas. Ela depressa foi fazer um pequeno xixi pelo tapete e começou aos binkies. Logo logo comeu o seu feno e deu mais uns binkies. Para quem não sabe, binkies são os típicos saltos que os coelhos dão de felicidade. Era um binky bunny a minha lady, que ainda não sabia que era uma lady. Quis logo quentinho do aquecedor e adormeceu no meu colo enrolada na manta. A sua primeira noite, foi às voltas da gaiola, a perceber onde estava e o que eram aquelas grades. Dormiu na sua manta e no feno, nos dias seguintes dormia dentro da toca na gaiola. Mas, não bebia água e dava-mos de seringa, com medo que ela desidratasse. Tive de ensinar ela a beber do bebedouro, já que na taça se podia enfiar lá dentro. Sim, era uma banheira para ela. A ração tinha de partir em bocadinhos muito muito pequeninos, se não, não comia. Apanhou umas crostinhas na pele, que rapidamente liguei para o veterinário e foi tratada com umas pipetas. Bonnie, como passavas horas ao aquecedor, quase dentro dele. Davas muitos binkies. Comias muito feno e enfiava-se dentro do suporte. Começas-te por comer salsa. Ah! E tinhas soluços (e tens), muitos! Foste logo cedo dar um passeio à rua de alcofa, ver o mundo e ver o mar. Coisas de humanos.

Era tão mini e precisava de um nome. Era o/a Bébé. Na realidade, é o nome que ela mais responde agora. Mas, pensei ser um menino, apesar da sua cara e pestanas de lady. Em tantos nomes que chamei, existiu um que ela mexia sempre a orelha: Miami. Mas algo me dizia que não era o teu nome. Até porque nunca quis saber o seu sexo quando decidi ficar contigo. Ajudar é mesmo assim. E assim ficou o Miami.  Até nos mudarmos para Lisboa e irmos ao veterinário. "É fêmea" disse o Dr. Rui Patrício e eu disse: "É a Bonnie". Obviamente, não poderia ter outro nome em memória do meu Bennie. Como se fosse quase por magia.

Cresceste, ficaste uma princesa refilona. Resmungas e rosnas quando não gostas das coisas e escavas como se não existisse amanhã. Se for preciso dás uma trinca só para te mostrar. Adoras tudo, desde feno, legumes, ração, não há nada que não gostes. Sim e escavas, muito, passas uma hora a escavar. Já destruiu tapetes e mantas. Mas continua a gostar de colo e dos meus apertos de beijos. Pelo menos, eu acho que gosta. E quentinho. Agora dormes na tua cama de plástico rosa, onde no fundo tem tecido polar. Dormes sempre lá de noite, bem bolinha e quente. Gostas de dormir na wc, para apoiar o queixo no rebordo. És uma tonta. Mas és muito limpinha e não fazes nada fora. Gostas de sol e de ir ao quintal. Exibes o teu peito felpudo e esticas o nariz como se fosses a dona do pedaço. És uma Lady!

Assim se passa um ano, na tua companhia. Minha doce princesa. Quem venham muitos mais!

Saudações coelhólicas.







 


sábado, janeiro 03, 2015

Aprender #2014

Aprendi que posso mudar o meu modo de vida e ajudar a salvar vidas. Aprendi, que a melhor maneira de honrar um animal, muitas vezes, é ajudar outro. E, quantos mais, melhor. Aprendi, que os animais fazem parte da minha vida, para sempre. "A compaixão pelos animais é das mais nobres virtudes da natureza humana".

Aprendi que perdoar, algumas vezes, não se faz pelo outro ser digno de perdão. Perdoar faz-se para seguir em frente e encontrar paz dentro de nós mesmos. Aprendi que muitas vezes perdoar é deixar, sem vontade de olhar, tudo aquilo que estava para trás. "Não perdoes por alguém, perdoa por ti".

Aprendi, que não deves ter a teu lado quem não acrescente nada de novo à tua vida. Quem não te traga paixão e viver. Quem não te complete. Quem se acomode ao que a vida dá (ou não) e sem vontade de querer (viver) mais. Quem não te faça sorrir, surpreender, brincar, emocionar. Quem não se orgulhe de quem és. Lembra-te que todos são agradáveis quando não os conhecemos realmente bem. Às vezes isso pode demorar anos, mas nunca é tarde para deixar ir. Deixa ir quem não queira percorrer o mundo, conhecer o mundo. Conhecer a vida. Quem não saiba viver. Não deixes ao teu lado quem não te acrescenta e apenas diminui. Afasta essas pessoas, deixa-as no seu mundo, não no teu. "Recomeça e faz crer que viver não é existir".

Aprendi, que se não te orgulhas da vida que tens deves ter a coragem de a deixar e seguir outro caminho. Aceitei aquilo que sempre quis para a minha vida, que me levantassem os pés e me fizessem voar. Que quero ao meu lado quem está disposto a fazer o mesmo. Quem está disposto a viver. "O segredo da felicidade é liberdade. O segredo da liberdade é coragem".

Aprendi que por vezes, muito erradamente, queremos dar passos atrás na nossa vida, por julgarmos em alguma instância que seria melhor se tivéssemos escolhido diferente. É errado. Quando escolhemos e seguimos esse caminho existiu uma forte razão para o fazer. A razão é querer ser feliz. Nunca desistas dos passos que soubeste que seriam melhores para ti. Orgulha-te por teres tido a coragem de quereres ser feliz, quando muitos não conseguem. No final de uma etapa vais perceber e aprender, que foi a melhor coisa que fizeste. "Há sempre uma razão para cada acontecer". 

Aprendi que estares sozinho, leva-te a descobrir mais de ti próprio. Estar sozinho faz parte da vida e, há alturas, que todos deveríamos focar-nos em nós mesmos. Porque a única certeza que tens na vida é que é contigo próprio que vais ter de lidar, para sempre. Só consegues ser realmente feliz com alguém se souberes ser antes feliz. Não vivas na mentira de ti, nem dos outros. Não penses que por teres alguém que és melhor. Enganas-te e é o teu maior erro. Apaixonar-te é o mais fácil. Difícil é o resto.  Deixar de repetir coisas iguais vezes sem conta, sem saberes. Aprendi o quão importante é conheceres os teus limites e as tuas capacidades. Aprendi, que deves saber quem és e saber responder a essa pergunta, sem hesitar. Só assim vais ser feliz e fazer feliz. "Podem caminhar ao teu lado, mas ninguém o faz por ti".

Aprendi, que jamais mudas por alguém mas que realmente as pessoas mudam. Mas as pessoas apenas mudam quando elas próprias querem, quando elas próprias precisam. Quando têm na sua vontade o querer de ser alguém melhor. Quando querem ser alguém na vida e não apenas a vida de alguém. Quando querem marcar a diferença dentro delas próprias. "E se for para mudar, muda pela única pessoa que vale a pena: tu".

Aprendi que somos todos diferentes e que nem todos admitem ser como são. Aprendi, que há pessoas que não conseguem estar sozinhas, porque o convívio com elas próprias pode não ser suportável. E nem querem tentar e nem sabem porquê. Com essas pessoas, não perco o meu tempo, elas não sabem o ser com que certamente vão ter de lidar o resto da vida: elas próprias. E se não sabem, não te vão mostrar o que realmente são. Estar sozinho faz bem, sabe bem. Não é preciso ter alguém, é preciso ser alguém. Só dás valor aos outros quando te conheces a ti próprio. Só dás valor, quando terminas a tua jornada, testas os teus limites e encontras o teu significado de viver. “O essencial da vida é invisível aos olhos”.

Desapaguei-me das coisas que não valem o nosso tempo. De pessoas, de objetos, de momentos. Dei valor a mim mesma e a quem sempre esteve comigo. Aprendi que a vida não é feita de nadas. A vida é feita de tudo. Nunca me irei contentar com o pouco. A minha sede de viver vai bem mais além que isso. Não me contento com poucas amizades, pouco amor, poucos abraços, poucos passos, poucos lado-a-lado, pouco conhecer. Viver está em querer mais e querer bem. “Eu coleciono momentos, não coisas”.

As amizades são tudo o que me importa para seguir o meu caminho. E são tudo o que (e por quem) vale percorrer distâncias, cruzar fronteiras e mesmo com pouco tempo, aproveitar a madrugada. Não aprendi isto, mais uma vez, constatei isto. A vida vai ensinar-te quem deves ter a teu lado e quem nunca deves ter. Sou tão afortunada por ter os amigos que tenho, que sempre tive. Que nunca me deixaram. Que tudo continua como se fosse ontem. "Há pessoas que nos dão pena. Outras, asas".

Aprendi que muitas vezes tens de saber desligar o complicómetro. Há coisas que complicamos demais quando a vida é tão simples. Aproveitar cada instante que a vida nos dá. Fazer desse instante um momento. Criar momentos, com amor. Escreve e retrata por ti, não por ninguém. Porque há sempre tempo para ser feliz. "Onde quer que vás, leva amor no coração".

Faz o teu ano, a tua história, faz acontecer.