Diário d'Inês

terça-feira, abril 26, 2016

Vivemos porque lembramos

Querido diário,

Deixo o texto com que participei no passatempo da página 7hink, com o tema Existência, baseado na frase: Vivemos porque lembramos. Versão sem cortes.

Sei que todos os dias lembramos. Sei que apenas vives intensamente aquilo que não esqueces. Porque a saudade existe para te lembrar do que foi bom. Porque o coração dói para recordares o que foi mau. Porque as lágrimas secam depois de caíres. E os sorrisos dás quando te consegues levantar. E sei porque me lembro. Sei porque me lembro que a felicidade é o que nos compõe a alma. É o que aquece o coração. É o que nos faz viver com paixão. Sei que as recordações fazem a minha história. São elas que me guiam para onde quero ir. São elas que me lembram onde não quero voltar. E é nos pequenos pormenores que não recordo que muitas vezes me perco. Sei que hoje sou o reflexo dos caminhos que percorri. Das vezes que me encontrei e das que me perdi. Sei que sou hoje o que quero recordar ser amanhã. Apenas sei porque me lembro dos momentos que guardamos. Das memórias que partilhamos. E que vivemos porque lembramos. Sejamos felizes ou não.

Saudações pensativas.


terça-feira, abril 12, 2016

Faz sentir

A vida quase como um livro. Cada página, cada história, cada capítulo. Não escrevas sem emoção. Não escrevas nada que não te toque no coração. Porque viver aquece a alma. E o que a mantém quente são aqueles que nela tocam.
Existem aqueles que querem apenas ver a capa, os que querem cada folha e os que querem partilhar os teus sorrisos e outros que querem muito mais que isso. E ainda os que te querem no livro da vida deles. Os que te colocam nele a partir daquele parágrafo. Os que não colocam ponto final às reticências e por mais aspas que teimam em existir, tiram sempre o chapéu… para te ter por perto. 
Nem todos abrem o livro todos os dias para te escrever. Para te surpreender. Para te falar das reticências, ou falar em saudade… Da amizade, da paixão ou do amor. Falar da vontade. De te ter sempre por perto. Da vontade de ti. Porque quando há vontade há sempre um caminho. E nesse caminho sabes que não existe ponto final paragrafo. 
Acrescenta o ponto final ao que não deves colocar virgulas. Não faças capítulos de quem não quer uma única frase. Frases de momentos perdidos nas memórias que ficam vazias. Momentos que não podes ser tu própria. Momentos que te fazem personagem que não és. Não vás por ir. Não caminhes apenas por andar. Vai porque queres. Porque és tu genuína, sem definição errada no dicionário de outrem. Porque sabes quem és. Sabes onde pisas. Porque tens vontade. Porque sabes que a vontade move o mundo. Porque sentes. Porque sabes viver. Porque viver intensamente é sentir que o compasso do nosso coração está ao ritmo da nossa alma.
A felicidade está sempre nas mais pequenas coisas. No desfolhar de toda a tua história. De virar outra e outra página. Faz sentir todas elas. Vive no limite. No limite dos teus sentimentos. Onde nada se pede e tudo se dá. Onde não precisas de pedir para ficar. Sorrisos, gargalhadas, abraços apertados. No limite de acrescentar mais folhas para escrever onde pensavas já não existir papel. Gestos. Beijos. Carinho. Paixão. Tesão. Momentos. Aqueles momentos. E no silêncio do amor. O silêncio de um amor qualquer. O amor pela tua vida. 
Não demores onde não sentes. Não comeces a escrever algo em vão. É fácil… Sempre foi… Reticências? Não. Exclama: se faz sentir, faz sentido!