Diário d'Inês

terça-feira, junho 28, 2016

Uma noite de prazer

Querido diário,

Shh. 
Deixa-me tapar-te os olhos, concentra-te na minha voz, ouve o meu convite. 
Não desapareças com esses olhos que me penetraram quando passei por ti. Para dois corpos que se desconhecem, os nossos olhares já se tocaram umas mil vezes. Se é assim numa manhã de café, imagina logo à noite entre a sala e o quarto, os lençóis e o chão. Sim, hoje à noite. Regados pelo vinho e queimados pelo prazer. Vais fazer de mim o que quiseres que serei mulher de ti mesmo sem motivos. Basta existirem dois corpos a palpitar de vontades. 
Hoje.
Vê o sítio no papel e não venhas tarde.



Outro texto do desafio #7hink com segundo lugar.

#umanoitedeprazer #diáriod'inês

terça-feira, junho 07, 2016

sexta-feira, junho 03, 2016

Beijos vermelhos

Querido diário,

 Fujo porque os nossos beijos já não têm sabor. O tempo levou o sabor da paixão. Levou os beijos quentes de verão. Os beijos loucos de inverno. Beijos que morreram na nossa primavera. Uma primavera pintada de negro, onde fujo com o vermelho do amor. Fujo com os nossos beijos vermelhos.
Fujo porque é de vermelho que te amo até às entranhas da minha pele, até ao mais ínfimo pormenor do meu corpo. Corro por esta estrada fora sem destino. Sem desejar que nos cruzemos novamente. Fujo de um amor que ficou sem sabor. Fujo do meu amor vermelho. E do teu amor sem cor. Porque os nossos vermelhos beijos, o nosso amor levou. O nosso amor negro. 
Já só existiam os beijos negros. Num beco sem saída, num caminho perdido. Beijos obsessivos. Beijos possuídos. Um beijo ardente que me queimava a mente. Fujo porque não quero mais esses beijos viciantes. Quero encontrar saída do labirinto desses teus beijos dementes. Os teus beijos sem cor. Beijos sem sabor.
Fujo com os beijos vermelhos antes que os perca de vez. Corro e tento encontrar a saída. Fujo com esses beijos que me coloriam a alma. Beijos quentes que me tiravam a calma. Fujo estrada fora para os guardar. Os nossos beijos que nunca irás encontrar. Cansada contínuo a correr à procura de um sítio para os deixar. Porque o que tu tens agora é um beijo negro. Um beijo sem sabor. E esse beijo eu não sei dar.




#beijos #amor #diáriodinês 

quarta-feira, junho 01, 2016

Escolhas

Querido diário,

Um outro texto que escrevi para participar no desafio da #7hink.

No amor não se traçam limites. Não existe um ponto definido entre o que é certo e errado. A única linha que podes traçar é a do infinito. Porque amar é infinito. E infinitamente impossível definir.
Então, não me venham com as tretas de uma escolha por 
amor. Não existem escolhas por amor. O amor é a escolha. Tudo o resto são consequências. És tu que escolhes amar. E, então, amar é aceitar. E eu aceito ver feliz quem amo. Mas sei que aceitar não é perdoar. E que se podes partir, eu posso não querer ficar. E assim eu escolho. Sabes, longe ou perto, eu quero que sejas feliz.
E é assim que as nossas escolhas se definem num único caminho. O da felicidade. E és tu que escolhes. Que se dane as escolhas do teu amor. O que tu aceitas não são as escolhas de quem amas. O que tu realmente aceitas é a felicidade. Tu queres ver quem amas feliz. Porque é isso que te faz feliz. E isso é amor.




#amor #escolhas